terça-feira, 23 de outubro de 2012

Memórias de Araruna: Recordando Manuel Paulino

Manuel Teixeira Martins (Mané Paulino)
Araruna é terra de muitas figuras que se destacaram nas mais variadas escalas da sociedade, sejam acadêmicos, juristas, políticos, poetas e outros segmentos. Algumas destas personalidades deixaram marcas profundas, que constituíram lições de vida, ensinamentos que ficam como maior obra de suas passagens. 

Uma destas figuras, certamente lembrada por muitos ararunenses, mesmo embora já tenha partido e deixado saudosas lembranças, foi o senhor Manuel Martins Teixeira, conhecido como Manuel (ou Mané) Paulino.

Manuel Paulino foi agricultor, barbeiro, delegado de Araruna, comercial (década de 1960 ramos de combustíveis), além de ter sido por 6 vezes vereador do município de Araruna, foi fiscal municipal na gestão do prefeito Benjamim Maranhão (Seu Beja), e vice-prefeito, tendo sido eleito para este cargo em 1988, ao lado da  prefeita Wilma Maranhão em seu segundo mandato.


Nascido em Araruna - PB, aos 20 de janeiro de 1922 era filho de Dona Joana Gertrudes e do Senhor Apolinário Martins Teixeira. A explicação de seu apelido "Manuel Paulino" vem do nome do pai, Apolinário, que era conhecido por "Seu Paulino", consequentemente esta forma de tratamento informal passou para seu filho, que desde então se tornou popularmente conhecido como Manuel Paulino.

Manuel Paulino, era casado com Dona Maria das Neves Teixeira (Dona Nevinha), hoje residente em João Pessoa - PB, cujo enlace resultou em 11 filhos, sendo eles: Maria das Graças Teixeira (primogênita), José Teixeira Sobrinho (Dedé Paulino), Maria Dalva Teixeira, Maria Eunice Teixeira, Maria Lúcia Teixeira, Jamilson Martins Teixeira (Nem), Joacil Martins Teixeira, Maria de Fátima Teixeira, Maria de Lurdes Teixeira (Dinha), Maria Dilza Teixeira e o filho caçula Edmilson Martins Teixeira. 

Mané Paulino ao lado de seus pais Seu Apolinário e Dona Joana, além do genro Manasses
e o neto George, em abril de 1977. Fonte: Acervo fotográfico de Nem Teixeira.

Homem de temperamento calmo, Manuel Paulino era cativo leitor das revistas Cruzeiro, fatos e Fotos  e Manchete, além de ser torcedor do Botafogo Futebol Clube do Rio de Janeiro, seu clube de coração. Residiu grande parte de sua vida na casa nº 4 da Praça Feliciano Soares, vizinho a Igrejinha de Santo Antonio.

Mané Paulino com esposa e filhos, na sua "cadeira favorita", em abril de 1977.
 Fonte:Acervo fotográfico de Nem Teixeira. 

A bondade e a simpatia certamente eram as características mais marcantes de Manuel Martins Teixeira, pois geralmente são com estas palavras que a maioria das pessoas que o conheceram o descrevem, pois estas qualidades são próprias das pessoas que viveram em prol da coletividade e do bem ao próximo, não foi por isso a toa ter sido padrinho de tantas e tantas pessoas, justamente pelo afeto que recebia de volta das pessoas que o conheciam, onde independente de qual família pertenceu, ou da sua classe social, era notadamente um homem digno.

Manuel Paulino e filhos junto de seu carro, um Corcel 2 em março de 1980.
Fonte:Acervo fotográfico de Nem Teixeira. 
Manuel Paulino, Dona Nevinha e filhos, em março de 1980.
Fonte:Acervo fotográfico de Nem Teixeira. 
Mané Paulino e afilhados na Igreja Matriz de Nossa Senhora da Conceição em Araruna,
década de 1980. Fonte:Acervo fotográfico de Nem Teixeira. 
Visita de Manuel Paulino a Brasília, década de 1980.
Fonte:Acervo fotográfico de Nem Teixeira. 
Manuel Paulino, com seu filho caçula Edmilson, junto do casal Demócrito Moreira (Seu Moca)
e Dona Maura  Targino.  Década de 1970. Fonte:Acervo fotográfico de Dedé Paulino. 
Mané Paulino candidato a vice prefeito nas eleições de 1988 em Araruna, junto do
então locutor "Zezinho do Cinema", da então candidata a prefeita Wilma Maranhão
 e a jovem Olenka Maranhão. Fonte:Acervo fotográfico de Nem Teixeira. 
Manuel Paulino em ato de assinatura de posse de mandato,  além da professora Gilvaneide
Clementino. Fonte:Acervo fotográfico de Nem Teixeira. 
Residencia do senhor Manuel Paulino, casa nº 4 da Praça Feliciano Soares do Nascimento.
 Fonte:Acervo fotográfico de Nem Teixeira. 

O saudoso Mané Paulino faleceu aos 27 de julho de 2002, com 80 anos de idade, após conviver 13 anos vítima de trombose, que o deixou por anos em cima de uma cadeira de rodas. Deixando aos seus descendentes, amigos e admiradores um exemplo impecável de conduta, digna de ser recordada.

Seu Manuel Paulino já bastante debilitado, junto de seu filho Jamilson (Nem ) e da neta Nicole, inicio dos anos 2000. Fonte:Acervo fotográfico de Nem Teixeira. 
Manuel Martins Teixeira, o inesquecível Mané Paulino.

Agradecimento aos filhos de Manuel Paulino: Jamilson Teixeira Martins (Nem), por disponibilizar acervo fotográfico e José Teixeira Sobrinho (Dedé Paulino) pelas informações que transmitiu.


Wellington Rafael

3 comentários:

  1. Não conhecia a história desse cidadão ararunenses,mas confesso que ele foi um grande homem, e ele tem uma grande participação na história da cidade de Araruna.

    ResponderExcluir
  2. Novamente, está de parabéns pelo post nobre amigo.
    É de admirar que com tantas personalidades, conterrâneas, notáveis, nós saibamos tão pouco a respeito. Fico feliz ao ver uma nova personalidade notável nascendo nas linhas deste blog.

    Abraço, Grande Wellington!!

    ResponderExcluir
  3. Minha admiração cabe tanto ao Manuel Paulino quanto a você Wellington pelo trabalho de pesquisa. Parabéns!

    ResponderExcluir