quinta-feira, 10 de julho de 2014

ARARUNA - 138 Anos de Emancipação Política
























                                                                                                               ARARUNA completa hoje 138 anos de emancipação política, data esta que se junta ao somatório de páginas que formam a rica história deste município, que é sem sombra de dúvidas dos mais importantes do Agreste Paraibano, e de onde se pode ter orgulho de viver, morar e conhecer, para poder então refletir a cerca de seu passado e caminhar em passos firmes, para um bom futuro.  

Parte desta rica história é conhecida, através das pesquisas e dos resultados decorrentes de fatos marcantes em nossa história, já outras são esquecidas ou deixadas de lado, talvez por maldade, talvez pelo próprio desconhecimento de uma identidade apagada. Deve ser ressaltada que mesmo antes da emancipação do município, a nomenclatura "Araruna" já existia, pois a famosa Serra de Araruna como lugar geográfico despertava a atenção pela imponência de seu relevo, que representa o início do Planalto da Borborema em sua escarpa oriental.  
Serra de Araruna e PB-111 na rodovia que liga Araruna á Tacima, e a esquerda Serra da Confusão.
Partindo deste principio de territorialidade, deve-se começar falando dos nossos primeiros habitantes que foram os indígenas, se supões que fossem os índios Janduís e os Caracarás, que ocupavam trechos entre os rios Curimataú e Trairi, de onde durante suas passagens deixaram muitos vestígios, dentre eles destacam-se as inscrições rupestres encontradas na Pedra do Letreiro, no Parque Estadual da Pedra da Boca, neste município. A própria denominação do município “Araruna” advém do idioma indígena (tupi) “A’rara una”, significando “Arara Negra”, decorrente do fato de existirem naquela época, muitas dessas araras (Anadorhynchus hyacinthinus) (Lath.), que embora do significado do nome, distinguem-se pela plumagem azul escuro, que vistas à distância pareciam negras. Sabe-se que muitos territórios onde se encontram os atuais municípios de Araruna, Cacimba de Dentro, Tacima, Riachão, Damião, além de muitos lotes de terra na região do brejo paraibano pertenciam ao Barão de Araruna, Estevão José da Rocha, mesmo antes do advento da emancipação municipal.

Anadorhynchus hyacinthinus ou Arara Azul Grande, ave que deu origem a denominação do município Araruna representada também na bandeira e no brasão municipal.
A fundação do povoado de Araruna se deu por meados de 1845, onde destacamos a atual igrejinha de Santo Antônio (Antiga Matriz)  construída pela população local devido a uma necessidade social, pois desde 1830, um padre vinha de Bananeiras prestar serviços religiosos em torno da qual surgem as primeiras casas. A historiografia  ararunense atribui a construção da igrejinha ao senhor Feliciano Soares do Nascimento, habitante em Jacú de órfãos no Rio Grande do Norte, que teria construído uma capela para cumprir uma promessa a Nossa Senhora da Conceição pela cura de um irmão, o mesmo contou certamente com ajuda de possíveis vaqueiros e trabalhadores rurais em geral, que foram muito corajosos de migrarem de suas antigas habitações para se instalar nesta localidade ao redor da capela, e assim ajudarem a formar as raízes da população ararunense.

Igrejinha de Santo Antonio, onde em seu redor começaram os primeiros indícios de urbanização. 
Durante este período essa população que em Araruna se encontrava, era quase que totalmente desassistida de serviços essenciais como educação e saúde, decorrente do fato do próprio isolamento da serra de altitude elevada e longínqua de outros núcleos urbanos, como a própria distancia da então vila á sede do município de Bananeiras-PB,  atendendo a reivindicações e apelos de décadas, Flávio Clementino da Silva Freire, Vice-Presidente da Província da Parahyba do Norte, aos 4 de julho de 1854, cria com a lei nº 25 a Freguesia de Nossa Senhora da Conceição da Serra de Araruna, passo importante para sua emancipação posterior que viria aos 10 de julho de 1876 sancionada pelo Presidente da Província da Parahyba do Norte o senhor Barão de Mamanguape através da  Lei nº 616. Neste mesmo ano são iniciados os trabalhos de construção da nova Igreja Matriz da cidade, que viria a ser encerrada no ano de 1907, com a construção da fachada e acabamentos internos. 

Santuário de Nossa Senhora da Conceição. Foto: Paróquia de Araruna, 2012.
Á partir daí o município de Araruna conseguiu se firmar e trilhar diversas conquistas em sua história, através de vários eventos que a tornaram cada vez mais forte e reconhecida na microrregião do Curimataú e redondezas potiguares, fortalecendo sua economia como um todo, pois se tinha um espaço mais adequado que suportasse a demanda do nosso comercio, onde Araruna se destacava como maior produtora de feijão do estado da Paraíba. Araruna possuía enfim um aspecto urbano que se desenhava e se consolidava cada vez mais, e se firmou principalmente em 1908 com a construção de seu primeiro Mercado Público (atual Centro Cultural) desativado em 1967, e com a construção de um Novo Mercado no mesmo ano. Durante o século XX é interessante se destacar desmembramentos de distritos provenientes de Araruna, dois em 1959: Cacimba de Dentro e Tacima; e Riachão  em 1994.

Velho Mercado Público, construído entre 1908 e 1909, atual Centro Cultural.
Praça João Pessoa no centro da cidade em 2011.
Mais recentemente pode-se considerar como novo evento desenvolvimentista e transformador da paisagem urbana de nosso município a construção e instalação do campus VIII da Universidade Estadual da Paraíba no ano de 2010, construído e instalado pelo Governador José Targino Maranhão, filho da terra, onde mais que uma construção de pedra e melhoria de renda e fortalecimento da economia da cidade, pode se considerar o maior presente que nosso município e região poderiam receber, onde muitas vezes o pequeno agricultor, uma dona de casa, uma artesã, ou pessoas inseridas em classes sociais menos privilegiadas no geral, não dispunham de condições necessárias para estudarem ou inserir seus filhos no mundo acadêmico, acabando sempre na maioria das vezes a margem dos benefícios que o conhecimento adquirido em grau superior possa acarretar, a mudança da mentalidade deste povo é com certeza o maior presente que a UEPB dará a Araruna.

UEPB Campus VIII Araruna, construído em 2001, inaugurado em 2010 pelo Governador José Maranhão.
Núcleo Urbano de Araruna, destacando seu crescimento e Parque Pedra da Boca ao fundo. Foto: Ivan Rocha, 2012.
Araruna é certamente um dos municípios mais conhecidos no estado da Paraíba, sendo cidade polarizadora na Microrregião do Curimataú Oriental Paraibano, apresentando uma população estimada em 20.009 habitantes segundo o IBGE/2014, sendo atualmente um dos municípios que mais cresceram nos últimos 5 anos no interior do estado, seja pela quantidade de construções ou investimentos públicos e privados. Além disto Araruna, é bastante conhecido por outros fatores, seja pela fama de seu clima frio e ameno, que se distingui do quadro geral desta região se tornando uma ilha de clima ameno em pleno semi-árido, pois está inserida numa altitude de cerca de 590 metros acima do nível do mar, distando a cerca de 165 km da capital João Pessoa, 110 km de Campina Grande e 120 km de Natal capital do Rio Grande do Norte, apresenta bucólicas paisagens naturais, tais como as belas serras da Araruna e da Confusão, e do Parque Estadual da Pedra da Boca inserido neste município, pelo seu clima ameno a maior parte do ano, por nossos tradicionais eventos como o consagrado São João na Serra, Festival de Inverno e Festa da Padroeira de Nossa Senhora da Conceição.

Araruna inserida no mapa rodoviário paraibano, tendo como principal rodovia a PB - 111. Fonte: Governo do Estado da Paraíba, 2012.
Pedra da Boca, ponto turístico mais famoso do município, inserido no parque estadual de mesmo nome.

Araruna se destaca também através de seus filhos ilustres, que sobressaíram em cenário estadual e alguns até nacional, como os poetas Antonio Joaquim Pereira da Siva (1876 - 1944) membro da Academia Brasileira de Letras e Peryllo D’Oliveira (1898 - 1930) membro da Academia Paraibana de Letras; José Targino Pereira da Costa (1893 - 1987) ex-secretário de Agricultura e ex-governador da Paraíba; José Targino Maranhão, ex-senador e governador da Paraíba por três mandatos; Almir Carneiro da Fonseca, desembargador; Manuel Paulino da Luz, desembargador; José Adalberto Targino, procurador e presidente da Academia Norte-riograndense de Letras; Rogério Fialho Moreira, desembargador; Humberto Fonseca de Lucena, bioquímico e pesquisador; Olenka Targino Maranhão deputada estadual; Benjamin Gomes Maranhão Neto, deputado federal; Vital da Costa Araújo, subsecretário de segurança pública e deputado estadual e a atual prefeita a Srª Wilma Targino Maranhão ex-presidente do CENDAC-PB e prefeita por quatro mandatos deste município.

Brasão de Araruna instituído em 2009 e a bandeira municipal instituta em 1977.

Porém, Araruna ao longo de seus 138 anos de história pode ter certeza do bom sentimento de seus habitantes, sobretudo a população mais carente, que sempre de forma brava e às vezes inconsciente, ajudando ao longo destes mais de 138 anos, de luta e  garra, e que mesmo oprimida diante de sistemas socialmente injustos e impostos sempre acreditaram em sua capacidade e sempre caminharam com passos de esperança, mesmo expostos as crueldades e ganâncias dos nossos coronéis de hoje e de outrora, tornando nosso município mais rico e mais bonito a cada dia, do qual foi descrito modestamente neste nosso trabalho, diante da tamanha riqueza de conteúdos do universo Araruna.  

Enfim minhas felicitações, a esta cidade que é a princesa do Curimataú paraibano, através de versos simples de um ararunense já finado, mais que nos fala com amor e orgulho de ser de Araruna.

"Você canta sua terra,
Também vou cantar a minha,
Que fica no topo da serra,
E tem porte de Rainha!”. (velho Borges)

PARABÉNS ARARUNA PELOS SEUS 138 ANOS DE HISTÓRIA DE LUTAS E VITÓRIAS!


Referências:

LUCENA, Humberto Fonsêca de. O Velho Mercado de Araruna e seus Arredores. João Pessoa, Empório dos livros. 1996.
SILVA, Wellington Rafael da. Desenvolvimento urbano e regional da/na Cidade de Araruna - PB.Guarabira - PB, UEPB, 2010.
SILVA, Wellington Rafael da. Análise das transformações do espaço urbano na cidade de Araruna - PB, da Fundação do povoado a 1967. Guarabira - PB, UEPB, 2012.

9 comentários:

  1. VIVA A TERRA DOS GRANDES HOMENS ,FILHOS ILUSTRES DE ARARUNA DA ESTIRPE CULTURAL,MORAL COMO ANTÕNIO JOAQUIM PEREIRA DA SILVA,SEVERINO PERILLO DE OLIVEIRA,UBIRAJARA TARGINO BOTTO,JOSÉ ADALBERTO TARGIMO ARAUJO,HUMBERTO FONSECA LUCENA,JOSÉ TARGINO PEREIRA DA COSTA,JOSÉ TARGINO MARANHÃO,ALMIR CARNEIRO DA FONSECA,MANOEL PAULINO DA LUZ,ROGÉRIO MOREIRA FIALHO,ETC.ESTES SÃO GUERREIROS DE LUZ,FIZERAM HISTORIA,HONRAM ARARUNA AQUI NO ESTADO E EM OUTROS ESTADOS,SÃO CONHECIDOS E RESPEITADOS NACIONALMENTE,ALÉM DAS FRONTEIRAS DA PARAIBA.
    A GRANDEZA E A RIQUEZA DE ARARUNA SAO OS SEUS DIGNOS E INTELECTUAIS FILHOS,GRANDES NÃO PELO DINHEIRO QUE QUALQUER BANDIDO PODE TER,MAS PELA LUTA DE MENINOS POBRES QUE VENCERAM PELAS PORTAS LARGAS DO SABER,POR DEMOCRÁTICOS CONCURSOS PÚBLICOS QUE PROVAM A MERITOCRACIA E O VALOR IMORTAL DO ESTUDO QUE NINGUÉM ROUBA OU O TEMPO DESTROI.

    ResponderExcluir
  2. Vivam os verdadeiros intelectuais e dignos ararunenses!!!

    ResponderExcluir
  3. Filhos ilustres de Araruna são aqueles intelectuais e acadêmicos que servem de exemplo para os jovens,as novas gerações.E exemplos são os que ultrapassaram a casta social da pobreza e venceram todos os obstáculos e primeiro cresceram fora do nosso estado pela ética e capacidade literária.Só conheço 4(quatro) acadêmicos de Araruna e o resto são ricos e espertalhôes que venceram enganando o povo.Parabèns pra os realmente imortais em qualquer tempo:poetas ,escritores e oradores:Pereira da Silva ,Perillo D'oliveira,Humberto Lucena e Adalberto Targino.O resto é babação e aplauso dos eternos escravos de Araruna,pobre mãe...

    ResponderExcluir
  4. OS HISTORIADORES DE ARARUNA NÃO NARRAM A HISTÓRIA ANTIGA DE ARARUNA COMO OBRIGA A REALIDADE DOS FATOS,COM EFEITO,NINGUÉM PODE ESCREVER ESCAMOTEANDO A VERDADE,DIVIDINDO OS HOMENS EM RICOS(OS LEMBRADOS) E OS POBRES(ESQUECIDOS).SABE-SE QUE A HISTÓRIA REAL DE ARARUNA NÃO PODE SER CONTADA SEM REGISTRAR OS QUATRO IRMÃOS "TARGINO"QUE FIZERAM A SUA SAGA:CAPITÃO HENRIQUE TARGINO PEREIRA DA COSTA,MAJOR PEDRO TARGINO PEREIRA DA COSTA,CORONEL TARGINO PEREIRA DA COSTA E O PADRE FRANCISCO TARGINO PEREIRA DA COSTA.
    DESSE QUARTETO DE GÊNIOS POLITICO-ADMINISTRATIVOS DA ZONA RURAL,TRÊS DOS QUAIS OFICIAIS DA GUARDA NACIONAL,COM PRESTIGIO E PODER DESDE O DISTANTE GOVERNO IMPERIAL DO BRASIL,DEIXANDO DESCENDENTES ILUSTRES E ILUSTRADOS,COMO O SENADOR JOSÉ TARGINO MARANHÃO,BENJAMIM "TARGINO"GOMES MARANHÃO,OLENKA TARGINO MARANHÃO,JOSÉ ADALBERTO TARGINO ARAUJO,WILMA TARGINO MARANHÃO ,JOSÉ TARGINO PEREIRA DA COSTA,TARGINO PEREIRA DA COSTA,ROGÉRIO FIÁLHO MOREIRA(NETO DE ERNESTO TARGINO),ALMIR "TARGINO" CARNEIRO DA FONSECA,LUIZ GONZAGA TARGINO DE MOURA,CARMÉZIA TARGINO FERREIRA,PEDRO TARGINO BELMONT,PEDRO TARGINO TEIXEIRA,UBIRAJARA TARGINO BÔTTO,ARIOSVALDO TARGINO ARAÚJO,ITAPUAM TARGINO BÔTTO,GERALDO TARGINO MOREIRA,MENTOR "TARGINO"CARNEIRO DA FONSECA,WALBER MOURA AGRA "TARGINO",WALTER MOURA AGRA "TARGINO",AUGUSTO TARGINO BELMONT,ANTõNIO FIÁLHO MOREIRA"TARGINO",AGENOR TARGINO,VITAL COSTA "TARGINO",JOÃO BOSCO TEIXEIRA "TARGINO",AÉCIO ARAÚJO DE MORAIS "TARGINO",WELLINGTON SABINO BELMONT"TARGINO",RISALVA DA CÂMARA "TARGINO",DJALMA TARGINO BELMONT
    OS TARGINO ORIGINAIS E PUROS SANGUE SE ORIGINARAM DESSES QUATRO GRANDES ADMINISTRADORES,HOMENS PÚBLICOS E MILITARES DA GUARDA NACIONAL(SEM NUNCA ESQUECER QUE O IRMÃO CAPITÃO HENRIQUE PEREIRA DA COSTA ERA UM EXEMPLO DE ÉTICA E MORAL ,TANTO NA VIDA PRIVADA QUANTO PÚBLICA,TENDO DEIXADO A MAIS NUMEROSA PROLE,ESPALHADA POR TOA ARARUNA E EM TODO ESTADO).
    A VERDADE É QUE OS TARGINO SE RAMIFICARAM EM TARGINO MARANHÃO,TARGINO BELMONT,TARGINO FONSECA,TARGINO TEIXEIRA,TARGINO MOREIRA.TARGINO PONTES,TARGINO DE ARAÚJO,ETC,ETC.
    PORTANTO,SENHORES HISTORIADORES,É PRECISO QUE A VERDADE SEJA RESTAURADA E OS GRANDES PERSONAGENS DE ARARUNA SEM MENCIONADOS,JAMAIS DE FORMA SELETIVA E PRECONCEITUOSA EM RELAÇÃO A FORTUNA ACUMULADA,MAS CONFORME A SUA HONRADA TRAJETÓRIA,COM NORTE AS NOVAS GERAÇÕES.

    ResponderExcluir
  5. Estão sendo injustos ,pois Beja Maranhão(casado com uma Targino,Prefeito de Araruna e pai do Governador José Targino Maranhâo),,Alfredo Delfino de Lima,Raminho Cordeiro,Celest Torres(Prefeita) e Antonio Lucas de Araújo(casado com uma Targino,Vereador e com Nome no 1º Conjunto Habitacional de Araruna),ajudaram a escrever a História Politica-Administrativa de Araruna.Nao podem ser esquecidos,mesmo que alguns não gostem por politicagem atrasada e coronelesca.

    ResponderExcluir
  6. Certo!!!!!!!!!!Muito BEM!!!!!!!!

    ResponderExcluir
  7. Boa Noite, sou Wellington Rafael da Silva, criador deste blog de onde me propus há um tempo em escrever sobre as "coisas de Araruna" sejam aspectos de sua história, geografia, memória e patrimônio, de onde o faço com muito gosto e orgulho por esta terra que me acolheu e que tanto amo.

    Quero comentar com vocês a respeito da reflexão que fazem dos "historiadores de Araruna". Posso falar por mim:

    Em minhas matérias não faço elitismo na escolha de personagens a serem lembrados, não centro a história nos ricos e nos políticos e não lembro dos poetas Pereira da Silva e Perilo Doliveira apenas porque morreram, faço um trabalho sério gratuitamente e por dedicação, carinho e respeito pela memória de Araruna, onde nela não faço acepção de critérios elitistas para escolher quem fazer uma matéria biográfica, Beja Maranhão e Manuel Paulino que me propus a biografá-los não fiz por elitismo nem outro tipo de escolha criteriosa a não ser o de relembrar grandes nomes de Araruna e cujos quais nenhum historiador havia parado para descreve-los em particular, tenho uma lista de nomes a serem rememorados da qual está incluída o senhor Adalberto Targino, cujo qual me orgulho de ser conterrâneo, e amigo, porém sou apenas um jovem que me dedico a escrever sobre este município e que o faço através da disponibilidade de tempo e informações, a partir do momento que as tenho agilizo.

    Feliz seria Araruna se outros tivessem a dedicação que Humberto Fonseca de Lucena possui em contar a história de seu lugar de origem, quanto mais pessoas melhor, que outros se proponham também, foi isto que fiz, pois uso de todo o respeito para com a memória tanto dos mortos quanto dos vivos.

    Sou de origem humilde e que jamais iria cometer um absurdo preconceituoso como o que diretamente acusam, quanto seleção entre ricos e pobres, nem por preconceito racial (tenho avós, avôs, tios, tias, primos, primas negros), nem por inveja já que não tenho em mim a mesquinharia ou outro sentimento pequeno fazendo parte de minha personalidade, e muito menos por politicagem, e que muito menos recebo, ou ganho nenhum tipo de dividendo político particular de qualquer espécie de ninguém.

    Me sinto um prestigiado em dedicar muito de meu tempo e energias para relatar quaisquer fragmentos da historicidade de Araruna, e que novamente repito: o faço por gosto, carinho e respeito.

    Agradeço as visitas e contribuições no blog e peço prudência nos julgamentos

    ResponderExcluir
  8. Wellington,da minha parte garanto-lhe que não me referi a você,que é um blogueiro-historiador justo e imparcial e sem preconceito.Outros são uns politiqueiros e serviçais da inverdade.Você é uma joia rara que está restaurando a verdadeira história de Araruna,terra amada de Pereira da Silva.
    Da admiradora e leitora.

    ResponderExcluir
  9. Palmas para a terra de gênios da cultura e da poesia.

    ResponderExcluir